Canal 513 NET
Canal 2.1
Rádio FM 97.7
Mano App

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

A estimativa de câncer infanto-juvenil no Brasil, para o período de 2020 a 2022, é de 8.460 casos novos por ano, em crianças abaixo de 19 anos – faixa etária pediátrica –, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). No dia Internacional de Luta Contra o Câncer Infantil – 15 de fevereiro –, a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon) alerta para os sinais e sintomas do câncer infantil e a importância do diagnóstico precoce, para a melhoria das taxas de cura da doença no Estado.

O câncer em crianças já representa a principal causa de morte por doenças na infância no Brasil. No entanto, quando o diagnóstico é feito precocemente, as chances de cura podem chegar até 70% a 80%, conforme a Oncopediatra Jeanne Lee Coutinho, da Fundação Cecon, órgão vinculado à Secretaria do Estado de Saúde (SES-AM).

O dia 15 de fevereiro foi a data escolhida para celebrar a Luta Internacional Contra o Câncer Infantil, instituído pela Confederação Internacional de Pais de Crianças com Câncer (ICCCPO). A data serve para alertar os responsáveis sobre a importância de estarem atentos aos sinais e sintomas das crianças e adolescentes, para que através do diagnóstico precoce se melhore as taxas de cura.

Sinais e sintomas – São inespecíficos e comuns a outras doenças da infância, mas devem servir de alerta para os pais e responsáveis procurarem uma avaliação pediátrica adequada, em caso de persistência ou aumento de intensidade, como: anemia, febre persistente, dor abdominal, dor nas pernas, fraqueza, alteração da marcha, estrabismo, dor de cabeça, ínguas pelo corpo, manchas roxas não relacionadas a traumas, massas ou caroços pelo corpo e outros mais específicos, como reflexo esbranquiçado nos olhos (leucocoria).

Tipos frequentes – A taxa de incidência de cânceres na criança e no adolescente no Amazonas é semelhante à mundial e à brasileira, sendo as neoplasias mais frequentes as leucemias (afetam os glóbulos brancos), os linfomas (acometem o sistema linfático), neoplasias do Sistema Nervoso Central (SNC), dentre outros tumores sólidos.

Exames – Os exames laboratoriais e de imagem para o diagnóstico do câncer infantojuvenil podem ser realizados por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), via Sistema Nacional de Regulação (Sisreg), que regula os exames para as clínicas de imagem, e laboratórios da cidade de Manaus, além dos locais para exames iniciais no interior.

Tratamento – A Fundação Cecon proporciona os tratamentos de Quimioterapia, Radioterapia e cirurgias, dependendo do tipo de neoplasia e estadiamento.

O câncer infantil, devido sua complexidade, deve ser tratado em centros especializados, por profissionais aptos e por equipe multidisciplinar, orienta a médica especialista.

As crianças e seus familiares podem, ainda, contar com o suporte de ONGs, como o Grupo de Assistência à Criança com Câncer (Gacc), que oferece programas nutricionais, sociais e psicológicos de apoio.

Números – Em 2020, foram registrados cerca de 150 casos de cânceres infantojuvenil (0 a 19 anos) atendidos na rede pública, sendo 70 de neoplasias sólidas na Fundação Cecon, e 80 casos de leucemias e linfomas na Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoan).

Sugestões de legendas:
> O câncer em crianças representa a principal causa de mortalidade infantil por enfermidades no Brasil.
> Diagnóstico precocemente pode elevar as chances de cura para até 70 a 80%, conforme Jeanne Lee Coutinho, oncopediatra da FCecon.

FOTO:
Pediatria-FCecon: Laís Pompeu

Comentários

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin