Canal 513 NET
Canal 2.1
Rádio FM 97.7
Mano App

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Pesquisa foi realizada pela Secretaria de Estado de Educação e Desporto e alcançou mais de oito mil profissionais

Pesquisa realizada pela Secretaria de Estado de Educação e Desporto sobre a percepção dos educadores acerca do programa “Aula em Casa” mostrou que 72% dos professores aprovaram a iniciativa. Em Manaus, 57% classificaram como boa e 22% como ótima. No interior, 51% apontaram que o programa é bom e 14% considerou ótimo. A pesquisa foi feita por meio de formulários on-line e alcançou mais de oito mil profissionais da rede pública estadual de ensino em todo o Amazonas.

O estado foi o primeiro do País a retomar as atividades pedagógicas com as aulas remotas por meio de uma solução multiplataforma, que é o projeto “Aula em Casa”, idealizado pela pasta por meio do seu Centro de Mídias da Educação do Amazonas (Cemeam). A iniciativa está no ar, em televisão aberta e na Internet, desde o dia 23 de março e atende todas as modalidades de ensino da rede pública estadual.

A professora Gessi Bastos, da Escola Estadual Benício Leão, foi umas das educadoras que aprovou a solução oferecida pela Secretaria de Educação durante o Regime de Aulas Não Presenciais. Ela dá aulas de Matemática, Artes e Religião para estudantes do 1º e 4º anos do ensino fundamental 1 e fez uso dos conteúdos do “Aula em Casa”.

“Eu achei muito proveitoso, sim. Claro que a gente não atingiu 100% das presenças, mas nem nas aulas presenciais a gente consegue, então, foi satisfatória. Nós estabelecemos uma parceria muito forte com os pais e responsáveis, que se conscientizaram da importância das aulas e eles foram esse elo junto com a equipe pedagógica da escola”, explica a professora.

Bastos diz que trabalha com jogos on-line, concretos, videoaulas e outros recursos. “Com a minha turminha do 1º ano, por exemplo, quando a gente estava em aulas presenciais, eu estava ensinando os números, começando os conceitos de adição e eles corresponderam fazendo, em casa, os trabalhos que eu já tinha entregue no início do ano de coisas que eu ia fazer e só foi adaptado”.

Ao todo, Gessi tem cerca de 60 alunos, somando as duas turmas. Ela conta que foram criados grupos no WhatsApp e no Google Classroom para administrar as turmas e as tarefas. Aos poucos, a equipe pedagógica e o responsáveis pelos alunos entraram em consenso e a participação e resultados das aulas ficaram evidentes. “Eles entenderam que a escola visa a aprendizagem significativa das crianças, tanto que a gente utiliza várias formas, várias metodologias para facilitar esse aprendizado”, afirma.

Levantamento – A pesquisa de satisfação fazia parte da pesquisa sobre o retorno às aulas presenciais realizada pela Secretaria de Educação. A análise levou em consideração a opinião de toda a comunidade escolar. Foram ouvidos 72 mil pais e responsáveis, 7.432 professores, 504 pedagogos, 474 gestores e 2.177 administrativos. O índice de confiança da pesquisa é de 95%, com margem de erro entre 2% e 4%.

Fotos: Cleudilon Passarinho e Divulgação

Comentários

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin